8 de abr de 2009

Spam digital no mundo real


Pego o metrô para trabalhar e uma enxurrada de noticias fúteis e propaganda indesejada invade todo meu campo de visão, é assim toda manhã, logo a após tomar café e andar 500 metros até a estação mais próxima.

A caixa de entrada cheia de Spam eu consegui resolver graças ao SpamBayes, mas e o spam do mundo real?
Com a implantação da lei cidade limpa, televisores começaram a ocupar espaço nos vagões do metrô nos ônibus, quando estou em São Paulo toda manhã meu campo de visão é invadido por anúncios e noticias que ninguém se importa.
Para alguns o brilho do monitor é um alívio, mais um desculpa para não encarar o próximo no contato humano forçado que existe no transporte publico. Eu fui criado no interior, o olho no olho mesmo nos menores contatos sociais é "obrigatório", não precisamos fugir de cada olhar que recebemos e nem evitar olhar o próximo.
Este anúncios me incomodam tanto quanto o anúncio da Pousada que existiam em todos os filmes na época do vídeo cassete, eu só queria assistir ao filmes não queria sugestões de férias em Paraty. A inoportunidade só é comparada aos o programas de "leilão" de jóias nos canais de TV paga, onde você pagar para receber propaganda de coisas que você não precisa e não quer, a maioria do produtos eu nem mesmo gostaria de saber que existem. Mas o problema da TV a cabo eu resolvi facilmente, cancelei o serviço que só me oferecia reprises sem fim e intermináveis leilões de jóias.



Minha pior experiência com publicidade indesejada e forçada aconteceu logo após uma sequência de vôos atrasados que fez com que meu avião pousasse por volta das três horas da manhã no aeroporto de Guarulhos, esgotado e sem opções de transporte coletivo, peguei um táxi da Guarucoop, sentei no banco de trás, coloquei meus fones de ouvido, selecionei um álbum do Creedence e dei o play, assim que fechei os olhos, o taxista começa a dirigir em direção à zona sul de São Paulo. Uma luz atravessa minhas pálpebras, para o meu azar não era o farol de um carro vindo em sentido contrário, era um monitor de LCD brilhando logo a minha frente, inserido nas costas do banco do passageiro, tentei retomar meu cochilo, mas a luz piscando a minha frente não me deixava fechar os olhos, foi tentando fechar os olhos que assisti ao maldito comercial que descrevia as vantagens de se anunciar nos malditos monitores de LCD dos malditos taxis, o comercial foi seguido por trechos de um show da Ivete Sangalo, neste momento comecei à procurar botões para desligar o maldito monitor, infelizmente não encontrei. Perguntei ao motorista se era possível desligar tão distinto aparelho, ele disse alguma coisa e desligou aquela caixa infernal. Não basta pagar a corrida, você ainda tem que ser entupido por propagandas e musica baiana ruim, acho que isso é pleonasmo.

Retomei meus 20 minutos de cochilo.

Mas pensando bem já passei por um momento pior em outro táxi mas este caso envolvia exorcismos em uma radio evangélica, isso fica para outro dia,vamos focar somente em spam estritamente não religioso.


Nos ônibus e no metrô não sei o que fazer ainda talvez eu devesse começar a carregar uma mascara de dormir na minha mochila, ou quem sabe contrair um torcicolo de tanto virar o pescoço para evitar o contato visual com as pessoas e com a propaganda indesejável incluída no preço da passagem.

Créditos:
Malvados: http://www.malvados.com.br/

0 Comments: